Dia do leitor: a importância do hábito e dicas de livros disponíveis em nossa biblioteca

0
109

leitura é um dos hábitos mais importantes para o desenvolvimento humano, principalmente por exercitar as capacidades de comunicação, interpretação e de cognição das pessoas. Apesar de ser comemorado há 93 anos, o Dia do Leitor muitas vezes passa despercebido pelo baixo número de leitores que existem no Brasil.  Uma prática tão necessária e, muitas vezes, subestimada. Para as crianças, os livros desenvolvem a imaginação, estimulam o funcionamento da memória e faz com que elas conheçam mundos e ideais.  

História 

O Dia do Leitor é comemorado desde 1928, quando o jornal “O Povo”, do baiano Demócrito Rocha, começou a circular em Fortaleza, no estado do Ceará. O veículo continha matérias para combater a corrupção. Mas, além disso, o jornal tinha um espaço chamado ‘Macarajá’. O setor ajudava na divulgação do movimento Modernista literário cearense e de todo o Nordeste da época. Nomes como Rachel de Queiroz, Jáder Moreira de Carvalho e Antônio Figueiras Limas estavam constantemente nesse espaço com suas obras literárias. A data é uma homenagem ao jornal, ao Demócrito e a todos que são apaixonados por leitura e literatura. 

Dados e pesquisas 

A longevidade da data não é reflexo dos leitores no país. Os dados de 2019 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística mostram que a escolarização dos 06 aos 14 anos é de 99,7% e, contrapondo, o analfabetismo na faixa acima dos 15 anos é de 6,6%. Só em Minas Gerais, em 2018, as matrículas para o ensino fundamental foram superiores a 2,5 milhões. 

Já uma pesquisa realizada pelo Retratos da Leitura mostra que, no Brasil, entre os mais de 90% dos alfabetizados acima de 15 anos, 44% não leem e 30% nunca compraram um livro. Além disso, a pesquisa mostrou que em 2011, 50% dos brasileiros tinham o hábito de leitura, e que esse número em 2015 aumentou para 56%. 

Outro dado dessa apuração é que os leitores leem em uma média de 4,96 livros por ano, onde 0,94 são indicados pela escola e 2,88 são lidos por vontade própria. E do total dos livros lidos 2,43 foram terminados e 2,53 foram lidos pela metade. 

Biblioteca da APCEF/MG 

A APCEF/MG disponibiliza para seus associados os serviços de empréstimos de livro em sua biblioteca, tanto no espaço físico (rua Tupinambás, 460 – 1º andar – Centro de Belo Horizonte) quanto no sistema online Pergamum. Os sócios (empregados da Caixa da ativa e aposentados) solicitam os livros, dentre um acervo de mais de 10 mil obras, e recebem os mesmos em sua agência de lotação.

Nery Gomes, diretor sociocultural da APCEF/MG, ressalta a importância do espaço e os benefícios da leitura para a sociedade. “A leitura traz enormes benefícios para o ser humano. Além de gerar conhecimento, o hábito é uma ótima forma de distração, já que proporciona a realização de viagens virtuais. Qualifica o vocabulário, melhora raciocínio e o mais importante: contribui para a construção de uma sociedade solidária e melhor. Por esse motivo a APCEF/MG faz questão de manter sua biblioteca sempre atualizada”, ressalta.

A funcionária da biblioteca, Fernanda Resende, afirma que, apesar da pandemia, ainda há movimento no local, e mesmo antes do coronavírus os aposentados e os funcionários de agências próximas, como as unidades Tupinambás e Século são os que mais frequentam a biblioteca. A bibliotecária também comenta sobre os gêneros mais solicitados. “Os que têm mais saída são os livros de literatura, principalmente romance e suspense, assim como os de literatura infanto-juvenil. Os associados também pegam muitos livros de desenvolvimento pessoal e biografias”, explica.

Amantes dos livros 

Fernanda Resende é formada em Biblioteconomia pela Universidade Federal de Minas Gerais e é apaixonada por livros desde criança, quando tinha aproximadamente 10 anos. Ela conta que que se interessou pelo universo literário depois de ler “O assassinato no expresso do oriente”, de Agatha Christie. Desde então, ela segue uma meta: ler pelo menos um livro por semana. E ela consegue! Além disso, Fernanda sempre frequentou bastante as bibliotecas de Belo Horizonte e durante alguns anos foi usuária fiel da Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais. Quando questionada sobre seus livros e gêneros favoritos, Fernanda não pensou duas vezes para responder. “Tenho um gosto de leitura bem eclético, mas gosto principalmente de ficção fantástica, suspense e biografias”., afirma.

Já Marcilene Silveira Braga, aposentada da Caixa onde trabalhou por 25 anos e associada da APCEF/MG, é uma leitora voraz. Há mais ou menos três ou quatro anos ela usa a biblioteca da Associação com frequência, mesmo nesse período de pandemia. Marcilene é apaixonada por livros tanto tempo que nem se lembra qual obra a fez ter o hábito de leitura e, mesmo frequentando a biblioteca, ela coleciona seus próprios livros em casa. Apesar de não ter filhos, a aposentada empresta sua paixão para seus amigos, a fim de incentivar a leitura. E além dos amigos, um colega que presta serviços em sua casa também é influenciado por ela, que sempre lhe entrega dois ou três livros para ler e devolver. Os gêneros favoritos da aposentada são os policiais e os de mistério. 

Indicações  

Pensando na data e em incentivar cada vez mais a leitura entre os associados e suas famílias, o Departamento de Comunicação da APCEF/MG selecionou algumas dicas de livros para todas as idades e que podem ser encontrados na biblioteca da Associação. Confira: 

📚 INFANTIL

  • Meu pé de laranja lima (José Mauro de Vasconcelos): discorre sobre a história de Zezé um menino de cinco anos incompreendido por sua família biológica, na qual, passa por muitas situações que se leva a crer que aquele não é o melhor ambiente para o desenvolvimento de uma criança
  • O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá (Jorge Amado): A história de amor do gato malhado e da andorinha Sinhá eu a escrevi em 1948, em Paris, onde então residia com minha mulher e meu filho João Jorge, quando este completou um ano de idade, presente de aniversário; para que um dia ele a lesse. Colocado junto aos pertences da criança, o texto se perdeu e somente em 1976 João, bulindo em velhos guardados, o reencontrou, dele tomando finalmente conhecimento.
     
  • O Pequeno Príncipe (Antoine de Saint-Exupiry): é uma criança que vive no asteroide 325, junto com sua rosa, que é o grande amor de sua vida. O menino dedicava sua vida a cuidar de seu planeta, cuidando para que nada ruim germine no solo, mas um dia surgiram algumas árvores indesejadas e ele precisou sair pelo espaço em busca de um carneiro para acabar com elas

📚 INFANTO-JUVENIL

  • Extraordinário (R.J.Palacio): Um garoto que tem uma deformidade facial começa a quinta série em uma escola pública, com a ajuda e o apoio dos pais. Os desafios que ele enfrenta ajuda os outros a aprender a não julgar um livro pela capa.
     
  • O Mágico de Oz (L.Frank Baum): Em Kansas, Dorothy vive em uma fazenda com seus tios. Quando um tornado ataca a região, ela se abriga dentro de casa. A menina e seu cachorro são carregados pelo ciclone e aterrisam na terra de Oz, caindo em cima da Bruxa Má do Leste e a matando. Dorothy é vista como uma heroína, mas o que ela quer é voltar para Kansas
  • O gênio do crime (João Carlos Marinho): Há uma revolta, as crianças querem quebrar a fábrica. Edmundo, Pituca e Bolachão, e mais adiante, Berenice, entram em cena para descobrir a fábrica clandestina. Acontece que não se trata de simples bandidos. A quadrilha é chefiada por um gênio do crime. A cabeça do gordo é posta para pensar, travando-se um espetacular duelo de inteligências, que começa pelo incrível sistema de seguir pelo avesso

📚 JUVENIL

  • Saga Harry Potter (J.K.Rowling): A série narra as aventuras de um jovem chamado Harry James Potter, que descobre aos 11 anos de idade que é um bruxo ao ser convidado para estudar na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwartsarco de história principal diz respeito às amizades de Harry com outros bruxos de sua idade, como Ronald Weasley e Hermione Granger e seus conflitos com o bruxo das trevas Lord Voldemort, que pretende se tornar imortal, conquistar o mundo dos bruxos, subjugar as pessoas não-mágicas e destruir todos aqueles que estão em seu caminho, especialmente Harry Potter, a quem ele considera seu maior rival.
     
  • Saga Jogos Vorazes (Suzanne Collins): Narrado em primeira pessoa, o livro acompanha Katniss Everdeen, uma garota de dezesseis anos que vive em um país distópico chamado Panem. O país é dominado por uma metrópole tecnologicamente avançada chamada Capital, que realiza anualmente os Jogos Vorazes, para que as pessoas sempre se lembrem da revolta que aconteceu décadas atrás. Os Jogos são um lembrete do poder da Capital: nesses Jogos, um garoto e uma garota, entre doze e dezoito anos, de cada um dos doze distritos do país são selecionados através de um sorteio chamado de “Colheita” para participar de uma batalha televisionada em uma arena na qual todos os tributos devem lutar até a morte, onde apenas um sobreviverá e será o vitorioso.
     
  • Stranger Things: Cidade nas Trevas (Stephanie Fernandes): Em nova história oficial do universo de Stranger ThingsEleven descobre segredos perturbadores do passado de Jim Hopper. Contra a vontade de Hopper, ela vasculha uma caixa em que está escrito “Nova York”. É aí que começam as perguntas. Por que Hopper foi embora de Hawkins anos atrás? Por que nunca contou sobre Nova York? O que ele está escondendo? Embora prefira enfrentar uma horda de demogorgons a mergulhar em seu passado, Hopper sabe que não pode mais esconder a verdade. Por isso, ele conta a Eleven os detalhes de um dos casos mais avassaladores de sua carreira, o último antes de tudo mudar… 

📚 ADULTO

  • O Guardião (Nicholas Sparks): Quarenta dias após a morte de seu marido, Julie Barenson recebe uma encomenda deixada por ele. Dentro da caixa, encontra um filhote de cachorro dinamarquês e um bilhete no qual Jim promete que sempre cuidará dela. Quatro anos mais tarde, Julie já não pode depender apenas da companhia do fiel Singer, o filhotinho que se tornou um cachorro enorme e estabanado. Depois de tanto sofrimento, ela enfim está pronta para voltar a amar, mas seus primeiros encontros não são nada promissores. Até que surge Richard Franklin, um belo e sofisticado engenheiro que a trata como rainha. Julie está animada como havia muito tempo não sentia, mas, por alguma razão, não consegue compartilhar isso com Mike Harris, seu melhor amigo. Ele, por sua vez, é incapaz de esconder o ciúme que sente dela. Quando percebe que o desconforto diante de Mike é causado por um sentimento mais forte que a amizade, Julie se vê dividida entre esses dois homens, ela tem que tomar uma decisão. Só que não pode imaginar que, em vez de lhe trazer felicidade, essa escolha colocará sua vida em perigo.
     
  • A menina que roubava livros (Markus Zusak): A trajetória de Liesel Meminger é contada por uma narradora mórbida, surpreendentemente simpática. Ao perceber que a pequena ladra de livros lhe escapa, a Morte afeiçoa-se à menina e rastreia suas pegadas de 1939 a 1943. Traços de uma sobrevivente: a mãe comunista, perseguida pelo nazismo, envia Liesel e o irmão para o subúrbio pobre de uma cidade alemã, onde um casal se dispõe a adotá-los por dinheiro. O garoto morre no trajeto e é enterrado por um coveiro que deixa cair um livro na neve. É o primeiro de uma série que a menina vai surrupiar ao longo dos anos. O único vínculo com a família é esta obra, que ela ainda não sabe ler. Assombrada por pesadelos, ela compensa o medo e a solidão das noites com a conivência do pai adotivo, um pintor de parede bonachão que lhe dá lições de leitura. Alfabetizada sob vistas grossas da madrasta, Liesel canaliza urgências para a literatura. Em tempos de livros incendiados, ela os furta, ou os lê na biblioteca do prefeito da cidade. A vida ao redor é a pseudo-realidade criada em torno do culto a Hitler na Segunda Guerra. Ela assiste à eufórica celebração do aniversário do Führer pela vizinhança. Teme a dona da loja da esquina, colaboradora do Terceiro Reich. Faz amizade com um garoto obrigado a integrar a Juventude Hitlerista. E ajuda o pai a esconder no porão um judeu que escreve livros artesanais para contar a sua parte naquela História. A Morte, perplexa diante da violência humana, dá um tom leve e divertido à narrativa deste duro confronto entre a infância perdida e a crueldade do mundo adulto, um sucesso absoluto – e raro – de crítica e público.
     
  • Por lugares incríveis (Jennifer Niven): Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, a garota se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e chamado de “aberração” por onde passa. Para piorar, é obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família. Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: conhecer lugares incríveis do estado onde moram. Ao lado de Finch, Violet para de contar os dias e finalmente passa a vivê-los. O garoto, por sua vez, encontra alguém com quem pode ser ele mesmo, e torce para que consiga se manter desperto.
     

“O processo de leitura possibilita essa operação maravilhosa que é o encontro do que está dentro do livro com o que está guardado na nossa cabeça.” – Ruth Rocha

 

Departamento de Comunicação APCEF/MG

Deixe uma resposta