História dos empregados Caixa será retratada em documentário

0
234

Uma história de resistência marcada pela solidariedade, e protagonizada por 110 empregados Caixa há 28 anos, será tema de um longa-metragem dirigido pela premiada cineasta Maria Augusta Ramos – de “O Processo”. A mobilização dos trabalhadores do banco público aconteceu 1991, quando 110 empregados de São Paulo, Minas Gerais e Paraná foram demitidos por razões políticas. Na ocasião, toda a categoria se organizou para amparar financeiramente os demitidos reintegrá-los ao trabalho.

Para Maria Augusta Ramos, a narrativa de solidariedade sem precedentes da classe trabalhadora foi o que motivou o longa-metragem. “Esse documentário traz uma história que precisava ser contada e registrada, pois é um retrato importante de um momento da história brasileira. Ao mesmo tempo, permite uma maior compreensão do momento atual e uma reflexão sobre esse retorno de uma política que projeta o corte de direitos trabalhistas e a privatização de empresas estatais”, considerou a cineasta.

Neste final de semana (21 e 22/09), foram gravadas as primeiras entrevistas sobre a demissão dos funcionários da Caixa Econômica Federal, na gestão do então presidente Fernando Collor de Mello.

Em Londrina, cerca de 15 empregados exonerados àquela época, gravaram relatos para o documentário e se emocionaram ao relembrar o cenário de desalento, principalmente pela mobilização e solidariedade entre os empregados Caixa que lutaram pela reintegração dos colegas. Outras cenas e depoimentos serão gravados também em Belo Horizonte e São Paulo.

A coordenação do trabalho é da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), presidida por Jair Pedro Ferreira. Segundo ele, esta é uma história dos trabalhadores brasileiros, em especial do empregado da Caixa. “É uma narrativa de solidariedade e união, muito importante de ser contada nos dias de hoje. Vamos nos reencontrar, relembrar aqueles duros dias, em que  unidos, conseguimos superar grandes dificuldades. Queremos fazer esse registro histórico para que os jovens trabalhadores de hoje conheçam o passado e possam construir um futuro melhor.”

Contexto

As demissões aconteceram durante governo Collor, que foi eleito e tratado como um jovem fenômeno, apresentado nacionalmente como caçador de “marajás” e que tinha como missão modernizar e moralizar a máquina pública. Ao tomar posse, demite 2.650 recém-contratados da Caixa Econômica.

O mote da campanha abraçada pelos empregados foi Readmitir para não destruir a Caixa – um banco social.  O movimento se caracterizou pelo processo de luta pela reintegração se tornou item da pauta de reivindicações da campanha salarial de 1990.

Em 1991, em meio a uma greve, outros 110 são demitidos, alguns com mais de nove anos de casa, sem que houvesse provas de realização de piquetes violentos e sem abertura de processo administrativo, como exigia o regulamento.

O documentário pretende relembrar e documentar os meses que se seguiram à decisão arbitrária do então presidente Collor, até a reversão judicial quase dois anos depois. É o registro de uma história de solidariedade, contada a partir dos relatos de trabalhadores diretamente envolvidos nessa luta, trazendo-a para o contexto atual, quando um novo projeto de redução da máquina pública baseada na supressão de direitos começa a ter lugar.

Fonte: https://www.fenae.org.br/

Deixe uma resposta