Promoção por mérito: 96% dos promovíveis receberam delta

0
145

Empregados da Caixa de todo o país já receberam desde o dia 20 de janeiro a ascensão no PCS( Plano de Cargos e Salários) os valores referentes a promoção por mérito 2019(tantos por cento que incorporam ao salário) , ano base 2018. Dos trabalhadores considerados promovíveis, 96% foram contemplados com ascensão, ou seja 77.736. Os chamados deltas são uma conquista da luta dos empregados do banco desde a campanha salarial de 2008.

 O início sobre o debate da metodologia para o ano base 2019, com reflexos em 2020, já tem data definida. Em negociação, ocorrida na última sexta-feira, 1º de fevereiro, foi agendada para o dia 22 reunião da comissão paritária para debater a promoção por mérito.

“Além de iniciar as discussões para definir os critérios deste ano, nossa intenção é que seja aprofundado o debate sobre os números da promoção relativa ao ano passado. Cerca de 20% dos empregados ficaram de fora da progressão na carreira nos últimos dois anos. Em 2018, esse número já caiu para 4%, mas nós queremos mais, ou seja assegurar que todos recebam delta e que a Caixa volte ao regramento que possibilita atingir o segundo delta”, disse o coordenador da Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/caixa), Dionísio Reis.

Ele acrescenta: “A promoção por mérito é uma conquista dos empregados, e foi fruto de muita luta dos trabalhadores e das entidades que precisa ser valorizada como forma de reconhecimento do trabalho”. Em 2014, por exemplo, o banco não discutiu o assunto com os empregados e somente com a pressão foram garantidos o pagamento de um delta para todos os promovíveis, com a inclusão da sistemática no acordo coletivo assinado em 2015.

Para conseguir a promoção, era necessário cumprir alguns requisitos como ter realizado pelo menos oito horas (durante o ano) de capacitação dentre as ações integrantes do Programa Agir Certo Sempre, disponível no portal da Universidade Caixa; não estar na última referência salarial do PCS ao qual é vinculado, entre outros.

Fonte: https://www.fenae.org.br/

Deixe uma resposta